domingo, 3 de maio de 2009

Uma Palavra Importante

menino e menina

— Biiiia!! Anda brincar!
— Oh Filipe, aí fora está tanto calor…vamos brincar ao quê?

A Bia e o Filipe moram mesmo ao lado um do outro, e desde aquele dia em que o Filipe entrou no quintal da Bia, a gritar para ela vir brincar, que ele estava farto de estar em casa, as brincadeiras em dias de sol de Verão, tornaram-se quase obrigatórias.

— Vá anda lá!! Olha bora à praia, boa?
— Ah!! Boa!! Vou dizer à minha mãe: Oh mãaaee… — e os sons da sua voz perdem-se no interior da casa enquanto ela corre da janela do seu quarto ao encontro da mãe, para lhe implorar que a deixe sair. Bia tem 10 anos e o Filipe 12, por isso ela sabe que vai ter de prometer portar-se bem e voltar cedo, porque a mãe lhe vai dizer que ainda são muito pequenos para andarem por aí a brincar sozinhos… — Bem, ‘tava a ver que a minha mãe não me deixava vir…temos de vir antes de ficar noite, ouviste?
— Sim, sim… Anda!! O último a chegar é um ovo podre!!!
— Hei!! Mas começaste a correr primeiro que eu!!

A praia fica a 10 min de casa…5 se forem a correr…

— Ganhei!! Ganhei!! — grita o filipe, na euforia dos seus 12 anos.
— Não ganhaste nada!! Fizeste batota!! Tu nem me avisaste e já ‘tavas a correr…
— És um ovo podre!! És um ovo podre!!
— Chato!! Devia era ter ficado em casa… olha vou apanhar conchas, fica aí se quiseres!
— Pronto… Espera por mim! — ela anda rápido, só tinha ficado um bocadinho lá atrás a rir e agora já tinha de correr para ir ter com ela  — Fogo! Tu também és uma chata! Vamos lá apanhar conchas…

O costume: birras, corridas, gargalhadas… uma amizade inocente da infância, em que estar zangado ou a rir é tudo normal.

— Ai! Já estou cansado e além disso já não me cabem mais conchas nos bolsos, vou-me sentar aqui… Ainda não ‘tás farta?
— Sim, e também já apanhei muitas! — o Filipe tem razão, sentar na areia depois de tanto andar sabe mesmo bem — É pena a minha mãe não me deixar ir à agua…’tá tão boa!
— Ya! A minha também não me deixa, são umas chatas! Ah! Ainda não te contei!! Vi o meu primo a namorar!!
— Viste? O que é que ele ‘tava a fazer?
— ‘ Tava  a dizer: “Amo-te”
— “Amo-te”? Só isso? Oh! Isso não é namorar!! Não ‘tava a dar beijinhos??
— Não! Isso era o que eu queria ver!! Mas olha, “Amo-te” é uma palavra muito importante num namoro… — Isto foi dito com a sua cara mais séria, afinal, falar de namoros era o assunto mais sério da sua idade! 
— Como é que sabes?
— Ora, porque sei! Sou mais velho do que tu!
— Então como é que sabes quando é tens de dizer “amo-te”? Quando é que sabes que amas alguém? Ahh, pois!! Aposto que não sabes!!
— Sei sim!! Mas não te vou explicar, porque eu sou mais velho tenho de saber mais de namoros que tu! E além disso, não dá para explicar tens de sentir, o teu coração é que te diz quando é a altura… foi o que me disseram… Olha! Já ‘tou farto desta conversa, bora fazer tuneis? Daqui a nada temos de ir embora…
— Hmm…Está bem! Mas, vais ver que daqui a algum tempo vou descobrir o que é amar! Ainda vou descobrir primeiro que tu! Toma! Toma!

Ai…o que tu me foste dizer… @

2 comentários:

entremares disse...

Uma palavra importante, sem dúvida... e já reparaste quantas e quantas vezes ela é tão mal empregue ?

Até mete dó, o que se faz em nome dessa palavra...

Menina do Mar disse...

Pois é... tanta coisa má em nome de uma palavra q representa uma coisa tão boa...