domingo, 13 de janeiro de 2008

Queria dar-te uma flor


Queria dedicar-te um canto,
Nesta terna e longa viagem
Através da poesia.
Queria dar-te uma flor,
Que jamais seque algum dia.
Pois ser feliz é esquecer
A amargura do momento.
E só assim a vida é sublime
Bonita ao mesmo tempo,
Como este mar
Que nos separa,
Nesta noite amena e calma.
Silencio! Que o meu luar
Vai beijar a tua alma.


Marcos Lemos**, 27 de Maio de 2005



Eu sei que não se agradece mas, Obrigado... pelas horas de conversa... por me aturares... pela compreensão... pela companhia... pelas histórias malucas que inventamos juntos... pela oportunidade de sonhar... pelo sonho... por tudo o que me ensinas-te e pelo que aprendemos juntos... Obrigado pela amizade e por estares sempre lá. :o) Adoro-te *

**Este não é o autor do poema, mas sim a pessoa que mo dedicou.
Poema da autoria de Rogério Martins Simões
 

4 comentários:

Markuz disse...

Adoro-te simplesmente...

ROMASI disse...

ESte poema tem outro autor. O verdadeito título é ASA DE BORBOLETA.

Exijo que seja alterado o título e o autor.
ESTE POEMA FOI PLAGIADO!!!
Este poema foi escrito por mim.
A prova está no meu blog e no motor de busca do GOOGLE
Autor do poema, devidamente registado, é Rogério Martins Simões
Pode ser encontrado o original em POEMAS DE AMOR E DOR
O poema encontra-se devidamente registado em Portugal na IGAC Inspecção-Geral das Actividades Culturais processo 2079/09.
De acordo com a Lei 16/08 de 1/4 estes poemas não caíram no domínio público apesar de editados por mim na sua forma original. Veja o artigo 38.º do código do Direito de Autor e dos direitos conexos C.D.A.D.C. actualizado pela atrás citada Lei
Dado que o poema foi plagiado copiarei o link e o texto plagiado para
Servir de prova.
Rogério Martins Simões
http://poemasdeamoredor.blogs.sapo.pt

Menina do Mar disse...

ROMASI: Peço desde já muitas desculpas! Não foi minha intenção plagiar, até porque também não gostava nada que isso acontecesse com textos meus, mas eu simplesmente não sabia que este poema era de outro autor...
Deram-me este poema há muito tempo e eu sempre pensei que ele tinha sido mesmo feito para mim...:(
Eu não percebo nada de leis, por isso quando dizes que vai usar o link como prova, quer dizer que vou ser processada ou qualquer coisa assim? :s
ai que embrulhada, peço imensa desculpa...

unicidade disse...

Como é estranho não é amiga...
Eu disse ao Romasi que eu escrevieste poema depois de receber um outro de um amigo que se intitulava Emmaneul Ribeiro.
Ele enviou-me e eu retornei com este que ele diz ser dele. Acho muito estranho, mas eu é que nunca plagiei ninguém. Mas sim plagiaram-me. E novamente depois que estou em Portugal, roubaram meus poemas para publicar no Brasil. Mas a denúncia já foi feita na P.F.
Acho que devemos repensar. Eu também comecei a escrever pelas dores que eu tinha. Só não sei uqem é o tal Emmanuel. Aliás, eu pressinto quem sejam ele mais ela.
Desculpe estar dizendo isto no teu blog, mas também já disse no dele.
Sou brasileira e escrevi este poema com a alma para dedicar à uma pessoa que escrevia para im se intitulando chamar-se Emmanuel Ribeiro, mas, depois de vê-lo aqui publicado e observar outros blogs, já sei de quem se trata.
É pena eu ter de levar esta idéia do povo de Portugal, onde ora me encontro.
Desculpe o desabafo.
Talvez este Romasi possa ter-se passado pelo tal Emmanuel. Não sei uem sabe? Tudo é virtual. Mas eu vou provar quem é o verdadeiro plagiador.